A Simplicidade do Alimento Espiritual

26set10

Deus está nos convidando a experimentar e usufruir de um direito espiritual através da oração. Estamos sendo convidados a penetrar os sentimentos de Deus. A oração é simplesmente uma conversa com O Aprazível. A conversa pode se dar por meio de palavras faladas ou em silêncio. Muitas vezes, nossos sentimentos são muito profundos para serem expressos em palavras. O Benigno compreende esses sentimentos e temores. Nós podemos simplesmente “estar” e “descansar” na Presença d’Aquele que cuida. A cura espiritual pode começar. Aprendemos a confiar em Deus através da oração.

A oração é o alimento para a alma. Muitos têm encontrado terreno firme para sua espiritualidade por meio desse simples alimento. É o convite gentil de Deus que quer nos presentear através da oração. Estar diante de Deus é algo maravilhoso. Deus nos convida a simplesmente “estar” diante de sua Presença. Um banquete espiritual nos espera.

A oração em silêncio e quietude, o uso do nome sagrado e as Escrituras nos ajudam a ouvir o sussurro de Deus. A oração do corpo também pode nos preparar para essas maneiras de orar. As anotações diárias podem começar a nutrir nossas conversas com Deus, enquanto ouvimos suas respostas cheias de amor. Essas maneiras de orar têm sido praticadas através dos anos.

Muitos sentem as técnicas da oração como “uma conversa com Deus”. São poucos para quem a oração significa apenas estar quietos diante de Deus. A oração contemplativa não é um monólogo. Com freqüência, estamos declarando a Deus como achamos que o mundo deveria ser. Por estarmos tão ocupados em falar, deixamos de ouvir a calma e tranqüila voz. Sem solitude e quietude, deixamos de ouvir o Sussurro.

Deus anseia falar conosco no silêncio criado.

Na oração, Jesus Cristo era um contemplativo por excelência. Ele sabia como descansar em Deus, enquanto vivia uma vida cheia de propósito e significado. Cristo orou, viveu e morreu de maneira grandiosa. Ele não ensinou seus discípulos (alunos) a pregar. Ensinou-os a orar. Sua vida apresenta profundos ensinamentos para a oração.

A oração transforma, dá poder, cura, muda a história e as nossas próprias vidas. É um precioso presente para cada um de nós. Deus quer ajudar-nos a orar, por isso somos abençoados.

“Deus está pronto no momento em que estivermos também.”

A Simplicidade do Alimento Espiritual está disponível a todos.

Jesus foi um contemplativo perfeito. Sua vida de oração oferece uma variedade de alimento espiritual. Silêncio, quietude, solitude e oração de acordo com as Escrituras constituíam sua prática comum de oração. Freqüentemente procurava momentos de solitude para orar (Marcos 1:35; Lucas 5:15-16; 6:12). Ele compreendia a necessidade da oração. Sem Deus, ficamos inquietos, pois somos feitos para a conversa da oração.

Jesus tinha muitos lugares para jejuar e orar (Mateus 4:1-11). Insistia que as orações sem períodos de jejum (abstenção voluntária de comida e bebida) eram imperfeitas. Ele ensinou seus discípulos a jejuar (Mateus 6:16-18). O jejum ajuda-nos a focalizar interiormente os sussurros de Deus. Nossa vida de oração se fortalece, oramos com maior profundidade e consciência.

Jesus recomendou orarmos pelos nossos inimigos e por aqueles que nos perseguem (Mateus 5: 43-44). Ele ensinou isso repetidas vezes e assim oramos no famoso “Pai Nosso”. Cristo deu forma a este incrível perdão de Deus com suas últimas palavras na cruz: “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem”.

Jesus ensinou que todos nós precisamos de um lugar especial para orar (Mateus 6:5-8), que ele chamou de “quarto de oração”. Nesse lugar, podemos derramar seguramente nossas necessidades e sentimentos ao nosso querido Pai celestial. Aquele Que Cuida conhece todas as nossas necessidades antes de nós mesmos. Cada leitor é convidado a um lugar secreto, onde poderá ter uma conversa particular com o Ente Santo. Os quartos de oração são lugares de transformação.

Ele fazia questão de orar com seus discípulos. Ele sabia que precisávamos do poder da oração.

A oração fez com que Cristo se transfigurasse e ela pode mesmo nos tornar radiantes na presença de Deus (Lucas 9:28-29). A radiância de Cristo ao orar era tão maravilhosa que seus seguidores pediram-lhe que os ensinasse a orar (Mateus 6:9-14).; Lucas 11:1-4).

A oração mais conhecida é o “Pai Nosso”. É uma oração profunda, politicamente incorreta para aqueles que desejam ser parte de uma revolução espiritual!

Cristo conhecia as Escrituras intimamente e em contexto. Quando foi tentado, citou as Escrituras ao tentador (Mateus 4: 1-11). Cristo amava as Escrituras hebraicas ( O Velho Testamento). Há grande beleza e poder na Palavra de Deus.

Cristo nunca usava as Escrituras fora de seu contexto. Ele as interpretava sempre de uma forma nova e é esse tipo de interpretação que é necessário no mundo para que haja liberdade e dignidade entre os homens, eliminado a injustiça e a opressão daqueles que não compreendemos. Cristo nunca usou a Bíblia para segregar, desumanizar, denegrir ou humilhar as pessoas.

Ele sabia que seu querido Pai Celestial era todo amor. E um pai amoroso não abandona ou rejeita seus filhos ainda que sejam “diferentes” da maioria. Os pais alimentam e cuidam de seus filhos. Deus Pai é digno de nossa confiança, apesar de muitos pais terrenos não o serem.

Senhor, ensina-nos a orar!



No Responses Yet to “A Simplicidade do Alimento Espiritual”

  1. Deixe um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: