Perguntas aos espíritos

A comunicação entre o Espírito encarnado e o Espírito desencar­nado vem ocorrendo desde as mais remotas épocas. Na história de todos os povos encontramos provas irrefutáveis deste fato.

Estando o Ser Humano, encarnado na Terra, na faixa evolutiva própria de nosso planeta, não é de se estranhar que logo visse na pos­sibilidade de comunicação com os “mortos” uma maneira de tirar algum proveito. A evocação era praticada por alguns povos da Antiguidade, sem o verdadeiro respeito, afeição ou piedade; era, antes, um re­curso para brincadeiras e adivinhações, exploradas pelo charlatanismo e pela superstição. Por este motivo, o legislador hebreu, Moisés, 1500 a.C., para educar o seu povo, utilizou-se de uma Lei Disciplinar e proi­biu a comunicação com os mortos.

Muitas religiões do passado, tinham no culto e comunicação com os mortos, a base de sua Doutrina. Entretanto, somente os ditos inicia­dos po­deriam praticar o intercâmbio com os mortos, o povo em ge­ral era proibido de conhecer ou exercitar esta prática. Na Idade Mé­dia, como em outras épocas, os feiticeiros e bruxos eram queimados em praça públi­ca, como um exemplo para amedrontar o povo.

Allan Kardec [LM-cap XXVI] estuda detalhada­mente a comunicação entre os “vivos e os mortos”, e esta aná­lise rece­beu o nome de: “Perguntas que se podem fazer aos Espíritos”. É impor­tante, para todos nós, analisarmos alguns aspectos, do sábio estudo do mestre lionês.

Quando nos dirigimos a algum Espírito para perguntar-lhe algo, dois fatos importantes devem estar em nossa mente para que a comunica­ção seja eficiente. O primeiro deve ser a forma pela qual in­terrogamos. Esta forma deve obedecer uma clareza e uma precisão; quando vamos res­ponder a uma pergunta, respondemos melhor se tivermos entendido clara­mente a pergunta. Outro aspecto também importante na forma, é obedecer a uma ORDEM lógica, quando estudamos os livros da codificação, nos en­cantamos com a ordem das perguntas colocadas por Allan Kardec, facili­tando-nos a compreensão dos fatos.

Além da forma, o fundamento da questão é o outro fato importan­te. A natureza da pergunta pode provocar uma resposta exata ou falsa. Devemos nos lembrar que existem perguntas que os Espíritos não podem responder, por três motivos principais:

– não sabem a resposta;

– não querem responder; e

– não têm permissão para responder.

Quando insistimos nestas perguntas, os Espíritos sérios se afastam e os Espíritos inferiores podem, às vezes, responder.

Vamos analisar alguns pontos importantes, colocados por Allan Kardec:

a) Os Espíritos sérios respondem de bom grado às perguntas que têm por obje­tivo o nosso progresso e o bem da Humanidade, os Espíritos infelizes res­pondem a tudo.

b) Uma pergunta séria não nos dará a certeza de uma resposta também séria.

c) Não é a pergunta que afasta o Espírito leviano, mas o ca­rá­ter moral daquele que pergunta.

Vejamos agora alguns tipos de perguntas:

Perguntas Sobre o Futuro:
Grande é a curiosidade do Homem em saber o seu futuro. Mesmo não vivendo de maneira adequada o seu presen­te e tendo motivos para arrepender-se muito de seu passado, o Homem quer co­nhecer o seu futuro. Este tipo de comportamento tem fa­cilitado, desde as épocas mais remotas e até os dias atuais, o charlatanismo. Muitas pes­soas aceitam de bom grado a “adivinhação do fu­turo”, com o uso de arti­fícios variados, como jogo de cartas, de con­chas, bolas de cristal etc. O Codificador do Espiritismo deixa claro vários aspectos relacionados à previsão do futuro:

a) em princípio, o futuro é sempre oculto ao Homem; ex­cepcional­mente permite Deus seja ele revelado.

b) o conhecimento do fu­turo pode ser extremamente prejudicial ao Homem.

c) o futuro depende forçosamente de nosso presente, e nosso pre­sente não é fruto do acaso, mas sim da uti­lização de nosso livre arbí­trio.

São características das predições falsas: feitas a toda hora e em qualquer local, feitas sempre que solicita­das, marcam o momento exato dos acontecimentos previstos, respondem a so­licitações pueris

Perguntas sobre Existências Passadas:
A curiosidade do Espírito en­carnado em saber o que foi em existências anteriores, não é menor. Espera que tenha sido um sábio, um grande cientista, um rei. A ló­gica nos mostra que a natureza não dá saltos e, sendo assim, estu­dando o nosso comportamento atual, nossas tendências e sentimentos, com certa facilidade poderemos imaginar o que fomos no passado. As per­guntas sobre nossas vidas passadas dificilmente serão respondidas pela Espiritualidade Maior; quando isso ocorre, quase sempre se faz de modo espontâneo e com finalidade superior.

Perguntas sobre a Sorte dos Espíritos:
Todo aquele que se dis­tancia, momentaneamente de um ente querido que desencarnou, fica ansio­so para receber deste um conselho, um consolo, uma notícia. É co­mum pessoas pro­curarem os Centros Espíritas em busca de infor­mações (o nosso Chico Xavier, se defronta com milhares de pessoas a procurá-lo em busca de boas notícias). Sobre isso, vejamos alguns as­pectos impor­tantes: muitas vezes o Espírito que desencarnou necessita de algum tempo para reequilibrar-se antes de comunicar; às vezes, a separação temporária é necessária e impor­tante para ambos. A insis­tência em con­seguir notíci­as poderá gerar sofri­mento para o Espírito desencarnado, como também gerar a oportunidade de falsas notícias, trazidas por Espíritos levia­nos.
A orientação é ter paciência, orar muito, pois, se for possível e útil, a notícia virá espontaneamente e em ocasião opor­tuna. O tempo e o espaço são grandezas insig­nificantes quando compara­das ao poder do amor.

Perguntas Sobre a Saúde:
Qual o remédio a tomar? Qual exame a fazer? Operar ou não operar? São perguntas freqüentes à espiritualida­de. Algumas pessoas se esquecem que a doença do corpo é, muitas vezes, o remédio para a cura do Espírito e querem, de qualquer forma, a cura do corpo sem saber que podem estar desprezando a cura do Espírito. Devemos lembrar sempre que a medicina da Terra não com­pete e não é ini­miga da medicina espiritual, elas se somam e se com­pletam. Se a medici­na da Terra cresceu em conhe­cimento e recursos, é porque isso é
neces­sário a todos nós. Da mesma forma, como aqui na Terra, algumas pessoas têm a capacidade de
prescre­er, orientar e es­clarecer sobre este as­pecto, também no Mundo Espiri­tual existem Espíritos capazes de desen­volverem tal tarefa. No entanto, se interro­garmos sem critério, seremos vítimas de Espíritos levianos. As orien­tações virão obedecendo nosso merecimento, nossa real necessidade e pela misericórdia do Pai.

Anúncios

6 pensamentos sobre “Perguntas aos espíritos

    • Karol, você poderia ser mais explícita?
      Se me perguntas pelo teu futuro, não tenho condições de fazê-lo. Afinal nossa vida caminha de acordo com o que foi “combinado” na espiritualidade pelos nossos epíritos e, ainda, do livre arbítrio exercido nesta vida.

  1. Recentemente criamos um grupo, onde trocamos idéias e opiniões, assim como também realizamos leituras, e escolhemos um para levantar resposatas, e lógiacamente chegou a minha vez, e caso o q perguntarei abaixo não possam responder, peço o favor de citar-me algum email ou mesmo site onde possa me direcionar, o q desde já agradeço:
    Um espírito pode locomover algum objeto ???
    Como é feito tal processo (atavés do que ) ???
    Por que o faz ???
    Grato
    Léo Martins

  2. quando sentimos que um espirito esta permanecendo a todo o tempo connosco ,como podemos sentir que ele esta presente em nossa casa ou em nosso trabalho?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s