Como se dá a incorporação? – III

Sei que tenho mediunidade, e que esta não se refere à incorporação de espíritos. Acho que se trata de ouvir espíritos. Tenho muita intuição para aconselhar outras pessoas, mas, quando eu preciso, geralmente essa intuição faz com que eu siga o caminho errado. Como faço para saber se é esse mesmo o tipo de mediunidade que tenho? Gostaria de saber distinguir quando são espíritos bem intencionados e quando são mal intencionados.
Pelo que mencionou você realmente tem o que chamamos de mediunidade intuitiva. Vamos fazer uma distinção entre inspiração e intuição para que entenda melhor o que ocorre. Na inspiração, ocorre a assi­milação de correntes mentais que o espírito envia ao encarnado, ou seja, são apenas idéias ou sugestões mentais desprovidas de sentimentos. Semelhante à intuição, porém, a intervenção espiritual é bem me­nos perceptível, mais discreta; é um modo de o homem receber ajuda aparente do plano superior. Na in­tuição o médium tem de sintonizar-se mentalmente e harmonizar-se vibratoriamente com o espírito para receber telepaticamente a influência estranha e posteriormente transmiti-la. Os pensamentos e as sensa­ções diferentes que o médium sente, deve-se ao jato de força mental e força vibratória que o espírito lança sobre o sistema nervoso do encarnado, ou seja, as idéias ou sugestões mentais vem carregadas de sentimentos, sensações, etc. De uma forma genérica, podemos distinguir, através da sensibilidade me­diúnica a natureza das entidades espirituais, Os bons irradiam em torno de si fluidos leves, agradáveis, suaves, calmos, harmônicos e o médium tem uma sensação de bem-estar geral e euforia espiritual, po­dendo, então, se entrar na faixa mental do espírito, perceber-lhe as idéias, intenções e sentimentos. Os maus irradiam em torno de si fluidos pesados, desagradáveis, fortes, violentos, desarmônicos e o mé­dium tem uma sensação de mal-estar geral, ansiedade, desassossego, nervosismo, cabeça pesada, pál­pebras chumbadas, bocejos freqüentes e arrepios. Os Espíritos jamais conseguem disfarçar a condição espiritual que se encontram, bastando a análise fluídica das impressões. Analisando a sensação que o es­pírito está nos transmitindo e saberemos o que ele precisa. Se for irmão angustiado, busquemos vibrar amor e pensar nos ensinamentos do evangelho que tratam das bem-aventuranças e consolações. Se for irmão revoltado, busquemos vibrar amor e pensar nos ensinamentos do evangelho que tratam do per­dão, amor aos inimigos, de sermos mansos e pacíficos. Não gastaremos nem 5 minutos para acabarmos com sofrimentos que muitas vezes perduravam dezenas ou até centenas de anos, quantos irmãos não poderemos ajudar ao longo da nossa vida. Mas quantas vezes em vez de ajudar aceitamos a influência e associamos as nossas angústias e revoltas piorando a condição destes irmãos. Nessa convivência entre encarnados e desencarnados, a influência é tão sutil que não conseguimos muitas vezes estabelecer uma separação do que nos é próprio e do que é dos espíritos. Portanto, entre nossas idéias e imagens mentais podem estar disseminadas idéias e desejos de outros espíritos, sem que disto nos apercebamos. Para conseguirmos fazer essa distinção devemos aplicar a máxima ensinada pelo filósofo grego Sócrates: “Co­nhece-te a ti mesmo”. Somente quando conhecemos nossos pensamentos e sentimentos saberemos dis­tinguir quando a diferença do que é nosso ou de outra pessoa e ou espíritos.

Tenho uma sensação de um universo grande e desconhecido dentro de mim! Uma sensação de que tenho uma missão, um papel que não descobri. Por outro lado sinto medo de me entregar a estas interrogações. Muita gente já falou que sou médio. Eu corro desta possibilidade para não “viajar na maionese”. Como lidar com isso?

Cada um de nós é um dinamopsiquismo emissor e perceptor permanente; daí não apenas recebermos in­fluências dos outros, mas também sobre eles mantermos as nossas influenciações. Em qualquer lugar que estejamos podemos receber a influência dos espíritos, seja em casa, no trabalho, na rua, no carro, no ônibus, etc. Podemos ajudar a estas pessoas, basta analisarmos a sensação que o espírito está nos transmitindo e saberemos o que ele precisa. – Se for irmão angustiado, busquemos vibrar amor e pensar nos ensinamentos do evangelho que tratam das bem-aventuranças e consolações. – Se for irmão revolta­do, busquemos vibrar amor e pensar nos ensinamentos do evangelho que tratam do perdão, amor aos inimigos, de sermos mansos e pacíficos. Não gastaremos nem 5 minutos para acabarmos com sofrimen­tos que muitas vezes perduravam dezenas ou até centenas de anos, quantos irmãos não poderemos aju­dar ao longo da nossa vida. Mas quantas vezes em vez de ajudar aceitamos a influência e associamos as nossas angústias e revoltas piorando a condição destes irmãos. Temos que melhorar nossos pensamen­tos e sentimentos para não sofrermos tanto com as percepções negativas. Por ser um processo automáti­co, a absorção de energias pelo nosso organismo ajusta-se, naturalmente e automaticamente, ao padrão energético e vibratório correspondente ao estado mental e espiritual do momento. Isso significa dizer que temos maior facilidade de absorver as energias que são do mesmo padrão vibratório que nos encontra­mos, ou seja, nosso complexo energético atrai os fluidos e as energias com as quais afinamos e sintoni­zamos. O equilíbrio ou o desequilíbrio no campo mental e espiritual do indivíduo, determina a “qualidade” ou “tipo” de energia que será absorvido por ele. Quando temos pensamentos e sentimentos negativos atraímos espíritos quer vibram nestas faixas e quando vibramos pensamentos e sentimentos bons da mesma forma atraímos espíritos que se encontram nesta faixa. Mediunidade não tem como deixar ter, o que se faz necessário é aprender a usá-la direito. Busque estudar o Livro dos Médiuns, obra básica da Doutrina Espírita codificada por Allan Kardec, e procure um Centro Espírita que seja filiado a Federação Espírita do estado em que você mora. Que Deus sempre se faça presente em teu coração.

Por que recebo espíritos sofredores e nunca recebi comunicações do meu mentor?
As comunicações das entidades sofredoras são, para o médium que as recebe e para os que as ouvem, tesouros de aprendizado e esclarecimento pois ficamos cientes do estado a que chegam e como vivem seu sofrimento; a mediunidade neste aspecto é uma bençaõ, pois estamos ajudando a seres na
sua evolução e estamos também evoluindo.

Seu mentor espiritual está sempre apoiando e orientando, o facto de não se comunicar diretamente não implica que não se comunique, mas você pode não ter a consciência dessa comunicação pois está espe­rando por um tipo de comunicação que não é a empregada por ele ainda, seu mentor comunica-se por intuições sobre seu trabalho; deixe de ansiar por uma comunicação e faça seu trabalho com amor e fé na evolução dos seres que recebe, quando menos esperar terá a grata surpresa.

Participo de uma reunião de desobsessão, sou médium de incorporação. Gostaria de saber se é normal incorporar apenas espíritos em sofrimento e/ou inferiores que não sabem bem quem são nem onde estão e sentir a presença do mentor mas não ter mensagem ou não falar.
Geralmente em uma reunião de desobsessao, o objetivo eh o tratamento de espíritos em situação de so­frimento ou que estejam de uma maneira ou outra ainda presos a seus problemas e desafetos terrenos. Por esta razão na maioria das reuniões os espíritos que se manifestam são sofredores e/ou inferiores pois eh voltada ao seu esclarecimento a finalidade da mesma. Sabemos que os mentores espirituais da casa, e dos médiuns estão presentes, mas o tempo é necessário que seja gasto com nossos irmãos mais necessitados.

Como manter a concentração nos serviços mediúnicos? Durante o dia, vou me preparando para as atividades da noite, mas, mesmo em sintonia com o Plano Espiritual, vai chegando determi­nada hora que perco totalmente a concentração, o que devo fazer?

A preparação para o trabalho mediúnico deve iniciar a partir do momento em que terminar a reunião e ate o inicio da próxima, ou seja, deve ser constante.

Se deixarmos para nos preparar somente no dia, torna-se mais difícil a nossa concentração.

Concentração e’ questão de exercício, de habito. Portanto, faz-se necessário que tiremos todos os dias al­guns momentos para ficarmos a sós conosco e entrarmos em oração.

Outra coisa que muito auxilia, e’ fazermos pequenas leituras de paginas edificantes durante o dia. Com isso, nos ligamos ainda mais ao plano espiritual. Utilize também o recurso de preces relâmpago, ou seja, pequenas preces muitas vezes ao dia.

Sabemos o quanto e’ difícil manter o padrão vibratório, principalmente no dia da reunião, mas e’ neces­sário que nos esforcemos para tal. Muita paz e continue perseverando, pois os maiores beneficiados, so­mos nós mesmos.

Quando sei se o que sinto é realmente a presença de um espírito ou mistificação?
Através do que chamamos “desenvolvimento da mediunidade”, ou seja a prática constante nas reuniões mediúnicas sérias, amparada por dirigentes sérios e honestos, e com o estudo das próprias sensações. Assim, você vai aprendendo, gradativamente a reconhecer quando as sensações são causadas por um espírito ou não.

Ressaltamos que o fato de você dar uma comunicação sem o espírito (ou seja através do seu próprio in­consciente) não deve ser chamado de mistificação, mas sim de “animismo”. A mistificação geralmente é o termo usado para quando queremos dizer que o médium está enganado (ou enganando…) de forma
consciente.

Anúncios

22 pensamentos sobre “Como se dá a incorporação? – III

  1. Estou conhecendo agora o espiritismo, tenho muitas dúvidas e desejo muito aprender. Comecei a estudá-lo com o intuito de ajudar minha mãe que sofre com probelmas sérios de obsessão. Lendo o Livro dos Mediuns e alguns outros materiais que se encontram na net sobre o assunto, resolvi, por conta própria, evocar espíritos e tentar desenvolver a prática mediunica, atráves de exercícios de psicografia. Na primeira tentativa, após pedir em nome de Deus, que alguns espirito bom me ajudasse, consegui entender, nos “rasbicos” que eu fizera, a seguinte frase “JESUS, REZA. ORE” e perguntei o nome do espírito que estava me assistindo e consegui algumas letras e depois “BEZERRA”. Após tentar outras vezes não consegui indentificar mais nenhuma palavra, a não ser “rabiscos”. Isso é normal? O que devo fazer para que eu possa desenvolver a minha prática mediúnica? Isso poderia ser ANIMISMO?

    Outra indagação que tenho é a seguinte, toda vez eu estou tentando desenvolver a prática mediunica, tenho arrepios fortissímos, que parece que arrepiou o corpo todo, isso é próprio desse momento? Quando estou fazendo preces para a minha mãe, ás vezes, parece que eu vou sair do corpo, pareço que vou cair da cama, fico todo bambo, e sempre no final tenho flashes que estou com o espírito dela, vendo-a, o que é isso?

    Desde já agradeço o espaço destinado a estes questionamentos!

    • Renan
      Algumas coisas que no meu entender precisam ser avaliadas de outra forma.
      1. NÃO faça evocações, mesmo de bons espíritos, em sua casa. O local adequado para isto uma Casa Espírita. Lá, com a assistência de médiuns eles promoverão o teu adequdo desenvolvimento.
      2. Procure uma Casa Espírita onde te sintas bem.
      3. Em casa, apenas faça o “Evangelho no lar”.
      4. O nome do espírito comunicante não é importante. O mais importante é a mensagem. Com o passar do tempo e a “cumplicidade” ele revelará o “nome” como ele gostará de ser reconhecido. Não te impressiones pelos nomes que inicialmente poderão aparecer nas primeiras mensagens recebidas. Por isto, é necessário acompanhamento de um médium, num ambiente espírita para que se evitem que “espíritos zombeteiros” façam uso inadequado deste canal que se inicia.
      5. Você também fala em arrepios. É natural. Em princípio – e apenas isto – pode ser a “vibração das energias em contato. Mas isto, não necessariamente, indica – a priori – ser boa ou má coisa. Novamente, o acompanhamento de médiuns desenvolvidos na prática da caridade se faz necessário para uma orientação mais adequada.

      Bem, espero poder ter ajudado. Continue a aparecer por aqui. Novos textos poderão te ajudar.

      Fique com Deus.

  2. Renan, acaba de chegar diante dos meus olhos um trecho de uma palestra qeu fiz na Esola de Médiuns Maria de Nazareth (da Casa de Catarina, que frequentei por muitos e muitos anos)…
    ” Da formação dos médiuns (cap XVII Livro dos Médiuns)
    – para que um espírito possa comunicar-se, é preciso que haja entre ele e o médium relações fluídicas, que nem sempre se estabelecem instantaneamente. Só à medida que a faculdade se desenvolve, é que o médium adquire pouco a pouco a aptidão necessária para por-se em comunicação com o Espírito que se apresente.”

    Acho que este trecho complemente – de alguma forma – o que te falei.

    Mas, leia o restante deste capítulo…

  3. gostaria de saber tudo de mediunidade, o que se sente para saber ser ou nao um medium de incorporaçao.
    desde de ja agradeço

  4. oi, os espiritos que incorporam em pessoas da familia realmente falam verdades ou as vezes não? O espirito do irmao de uma amiga minha incorporou nela e disse que meu marido morrerá muito em breve. Agradeço!

    • Daniela, responder sim ou não à tua primeira pergunta fica complicado de fazer daqui. Uma das coisas a se considerar é o lugar e as condições como esta manifestação foi feita. Depois, devemos ter sempre em mente que existem espíritos que comumente chamamos de “zombeteiros” que se aproveitam de determinadas condições para se comunicarem. E, sempre, espíritos que se manifestam de maneira a orientar ou nos deixar “alertas” em relação a determinadas atitudes.

      Enfim, não me arriscaria a dar respostas incisivas sobre este assunto sem que pudesse, antes, ter mais conhecimento do que relatei acima.

  5. Gostaria de saber como acontece o desenvolvimento mediúnico na incorporação, no meu desenvlvimento sinto peso na cabeça, as vezes enjôo, o corpo todo formiga, sinto uma energia passando pelo meu corpo, mas não sinto vontade de falar, não percebo se estão me pedindo pra falar, sei lá, me confundo bastante, será que sou medium de incorporação, pois sinto muitas coisas, acredito que sim, você poderia descrever o que sente o medium na hora que o espirito se aproxima.

    • Diana, de uma forma geral, cada médium percebe de uma forma diferenciada a influenciação dos espíritos.
      Na realidade, o ambiente onde ocorre este processo é de maior neste processo. Encontrar o lugar mais adequado às tuas necessidades pode ser demorado e muitas vezes até desestimulante. Mas não deixe de fazer isto. Este grau de dificuldade tem muito a ver com a tua missão.
      Na realidade, eu tenho percebido, que as interações vão acontecendo ao longo de teu “aprendizado”. É comum médiuns desenvolverem inicialmente um tipo de intercâmbio e com o passar dos tempos, outros.
      Você tem comentado estas sensações aos responsável pelas reuniões, quando elas acontecem? Que tipo de respostas são dadas?
      Procure, também, estudar principalmente os livros de Kardec, principalmente o Livro dos Médius e o Evangelho.

  6. Oi,

    Ultimamente tenho sentido algumas sensações estranhas as quais tenho a sensação que serão algum tipo de mediunidade que estou a desenvolver. Gostaria de saber se ao incorporarmos (ou não o deixarmos ocorrer), podemos ter a sensação de nauseas, vómitos, frio, mas o mais estranho foi a minha boca encher-se de agua (saliva).

    Bom natal para todos!

  7. Olá,estou muito confusa com minha mediunidade, começei a participar das mediunicas e em todas as reuniões tenho incorporado, mas ao mesmo tepo que falo o que o espirito diz eu também ouço tudo, fico consciente do que estou fazendo, mas sinto vontade de fazer e falar e faço. Enfim acho que sou eu que invento, mas minha voz já mudou, e quando o doutrinador vem conversar eu paro de falar perco o contato com as palavras que antes surgiam naturalmente, Pelo amor de deus me ajudem, será que é animismo, estou ficando louca, tô engatinhando na doutrina espirita, agora mesmo cheguei em casa, depois de uma mediunica, sai tonta pois senti uma energia forte querendo se manisfestar e eu não consigo me concentrar, pois já havia dado comunicação anteriormente a um espirito sofrido.Por favor me esclareçam, o presidente do centro diz que é mediunidade psicofonica consciente, mas mesmo estudando me dedicando a duvida ainda paira sobre mim.Obrigada desde já.

  8. BOA NOITE, GOSTARIA DE SABER SE DEPOIS QUE O MÉDIUM COMEÇA A DESENVOLVER SEUS DONS ELE TEM COMO OBRIGAÇÃO DE FREQUENTAR O TERREIRO E DAR OFERENDAS COMO DIZEM ‘ MATAR ANIMAIS E DÁ P/ ELES’? E CASO CONTRÁRIO, A PESSOA QUE SABE QUE É MÉDIUM E NÃO DESENVOLVE TEM UMA VIDA COMPLICADA COM SOFRIMENTOS??? (FALO DE MIM) GRATA DANIELE.

    • Daniele, só posso responder sobre a religião que sigo. Não é Umbanda. Na Doutrina Espírita não existem oferentas nem mataças de animais.

      Todos nós nascemos médius. Cada um necessitará desenvolver-se ou não de cordo com os compromissos assumidos para esta encarnação.

      O direito de não fazer ou seguir é dado ao seu espírito através do Livre Arbítrio, portanto a Graça Divina permite que você não siga o que combinaste.

      Ao retornar à Pátria Espiritual estas coisas serão avaliadas em conjunto contigo e provavavelmente outras provas deverás se comprometer.

  9. Boa Tarde!
    Estou frequentando o Centro Espírita de minha cidade a poucos meses. Comecei psicografando em casa e, os espírito que me auxiliam disseram para iniciar a doutrina lá. Antes de ir, me ensinaram coisas que eu nem sabia que esxistiam, católoca de nascença mas, sempre acreditando que espíritos a nossa volta haviam. Um Instrutor do Plano espiritual ensinou-me e ainda ensina muito sobre o que ocorre após a morte do corpo material. Quando contou-me sobre Umbral, Hospital, etc, e tanto mais… fatos que nunca havia ouvido. Levei as psicografias ao Centro e lá me disseram que realmente é assim mesmo, como me ensinam. Sempre sinto-me muito bem durante e após as psicografias, uma imensa alegria,Paz,Amor, nem existem palavras para detalhar. Bom, mas há algumas semanas, ando tendo sensações estranhas. Sei que pode também ser cansaço… Acho..
    Durante as palestras, principalmente, sinto que meus olhos pesam e perco os sentidos,desligo e, ao mesmo tempo, oro dizendo que não estou pronta e, o sono pesado passa. Mas volta logo em seguida. Senti até minha mandíbula baixar, sem eu querer. Saio de lá cansada, e com forte dor de cabeça e para mim é estranho pois, sempre sinto tanto bem estar com a psicografia. Contei no Centro, só me disseram, “é assim mesmo, ou que ás vezes é sono”. Mas, será que estou começando a desenvolver algo mais? Ainda estou no estudo dos Principiantes, “no jardim de infâcia”, sei mais sobre o que o instrutor e minha mentora me ensinaram, e por isso, também me convidaram a participar dos Estudos Mediúnicos, e foi então que as sensações começaram. Minha mentora disse que era um sofredor, precisando de auxílio e meu instrutor disse que fiz certo ao orar e conversar mentalmente dizendo que eu não estou pronta. Pode me iluminar a cerca disso? Seria incorporação? Sono?
    Abraços fraternos e obrigada pela atençaõ!

  10. Rosi, gostaria de saber de que cidade nos escreve.

    Quanto às suas perguntas, devo inicialmente te orientar duas coisas:
    1 – as orações sempre que te sintas insegura ou sob estes efeitos. A oração tem o poder de nos colocar em sintonia com nossos espíritos guardiães e, com isto nossa proteção fica mais forte. Esquecê-los nos deixa mais frágil.
    2 – A leitura dos livros espíritas, principalmente O Livro dos Médiuns. Sua leitura e estudo irá te fortalecer à medida em que teu conhecimento assimila as orientações e esclarecimentos dados ali.

    Também gostaria de falar que nos parece que estas situações normalmente ocorrem pelo fato de espíritos não estarem satisfeito com o fato de estares buscando esclarecimento. Nesta situação, também é importante que em oração do “tipo conversa” esclareça a estes espíritos que procuras uma forma de conhecimento para ajudá-los.

    O mais importante é saber que o médium é dono de seu corpo e não pode se deixar usar por espíritos contra a sua vontade. Por isso, o estudo é a melhor defesa e deve vir antes de se tentar qualquer contato com o mundo espiritual, pois quando nos abrimos para o trabalho mediúnico, já temos que saber lidar com todas as formas de vibração, elevadas ou não, que podem nos envolver.

  11. Bom Dia!

    Desculpem-me por não ter deixado bem esclarecido, estou estudando a Doutrinna pa Principiantes e fazendo o Estudo Mediúnico no Centro Espírita, também estou lendo o Livro dos Espíritos e o Livro dos Médiuns. Faço o Evangelho no Lar e quando acontecem as sensações, no Centro (é só lá que ocorrem) converso, oro, peço para que se for algum espírito que necessite de ajuda que permaneça ali no Centro que alguém mais esclarecido e pronto possa auxiliá-lo. Aliás, percebi que oro várias vezes ao dia, e converso, buscando auxílio dos bons espíritos, observo mais a natureza, sinto o ar com mais prazer, etc…
    Obrigada por sanar minha dúvida!
    Abraços!

  12. COMO FAÇO PARA INICIAR NO ESPIRITISMO ????COMO SEI SE POSSO SER UM MEDIUM ????? DE UNS DIAS PARA CÁ , COMECEI A SENTIR UMA VONTADE ENORME DE INICIAR NO ESPIRITISMO E SER UM MEDIUM

  13. Boa Noite, não sei como cheguei a esse blog, porém acredito ser um sinal.
    faço estudos mediunico a 4 anos, a um ano mais ou menos dependendo do local onde vou, sinto muito mal, coisas involuntarias, como: ora choro, ora pulo, ora fico tremendo, nos estudos eles me dizem que eu estou permitindo tudo isso, porém ninguem me diz o que devo fazer, apenas me dizem que se eu não quizer nada pode sobre meu corpo, um dia sentada na sala de treinamento de passe, um rapaz me disse porque vc não deixa seu mentor passar, na verdade eu nem sei como fazer isso.
    Ja li a doutrina espirita, faço evangelho do lar, mas realmente não sei como fazer isso que me dizem.
    Alguem pode me ajudar;

  14. Olá, sempre busco meios de entender mais sobre a doutrina espirita e encontrar esse espaço foi muito gratificante para mim já que algumas de minhas dúvidas estãos aos poucos sendo esclarecidas por esse trabalho de divulgação de vcs, espero que este espaço prosiga sempre e possa ajudar muitos outros… Bem gostaria de tirar uma dúvida, sou iniciante do espiritismo, mas desde muito cedo que tenho umas sensações um tanto ‘estranhas’, fiz vários exames e nada tenho, busquei um centro espirita onde conversei com alguns irmãos sobre essas sensações e eles informaram que era mediunidade, desde então comecei a estudar obras de Allan kardec como o livro dos espiritos entre outas obras e busco sempre frenquentar o centro, uns dos sintomas que eu tenho até hoje é tontura, sensação de desmaio, um peso na cabeça principalmente na região da nuca e ultimamente esse incomodo na região da nuca vem sendo maior juntamente com uma sensação de que o meu corpo está com uma energia densa, como se eu estivesse sendo dominada por algum tipo de energia se assim convém falar, fico com uma sensação de cansaço constante e as vezes sinto minha destra como se tivesse um tipo de energia tbm, ando escutando vozes a noite e essa parte das vozes me deixa um pouco preocupada pq sei que existe o caso da animosidade…é mais ou menos isso que eu sinto, me informaram que eu sou mediun de incorporação, gostaria de saber se esses sintomas condizem com esse tipo de mediunidade e o que posso fazer para amenizar essas energias que eu concentro na nuca já que sou sensitiva e ainda luto procurando uma forma de amenizar essas energias que muitas vezes absorvo. Agradeço desde já! Paz e luz a todos!

    • Larissa, a melhor (ou as melhores) formas de ajuda estão no Centro Espírita que você frequenta. O dirigente da reunião que frequentas, o presidente ou alguém de lá que possua vidência. De longe, se estar pessoalmente contigo fica muito dificil emitir qq comentário. Não existe “receita de bolo” para este tipo de manifestação. Cada médium possui uma sensibilidade diferente do outro.
      Espero que consigas as orientações adequadas e a assistência necessária.

  15. Uma pessoa recebeu um espirito de uma criança,essa pessoa me conhece a muito tempo mas n temos mt intimidade,fiquei sabendo q ela falava com a voz dessa criança repetidamente o meu nome e chorando,tenho apenas quatorze anos ng da familia me contou sobre o ocorrido… Fiquei sabendo por una amiga… O q este espirito poderia qrer cmg,e pq ele usou ela e não uma pessoa mais próxima de mim? Gostaria mt q alguém me respondesse por favor!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s